Dicas úteis para alunos que participarão do próximo ENEM

Compartilhe
Prof. André Wagner Rodrigues
Mestre em Educação pela Universidade Nove de Julho

Se você é aluno concluinte do Ensino Médio e deseja ter um bom desempenho no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), essas dicas irão lhe ajudar!

Procure buscar interpretar a História utilizando também conhecimentos de outras áreas, tais como: Filosofia, Sociologia, Geografia, Economia e até Psicologia. Isso não é novo, muitos vestibulares como o da UNICAMP e UNESP (principalmente) também elaboram suas provas buscando a união entre as disciplinas. Proposta conhecida como Interdisciplinaridade. Dessa forma, é importante alertar sobre a necessidade de estudar ATUALIDADES. A prática de ler Jornais diários, ouvir programas de notícias, assistir telejornais, etc. são dicas valiosas para o sucesso no exame.

Uma visita ao conteúdo de jornais como a FOLHA DE SÃO PAULO pode lhe ajudar: http://www.folha.uol.com.br/

Além disso, já se foi o tempo de estudar História tentando decorar datas, acontecimentos, grandes personagens, etc. O conhecimento do passado atualmente exige do estudante uma análise mais abrangente e significativa do passado. Isto quer dizer que algumas habilidades de pensamento serão de extrema importância para a realização de uma boa prova. Para isso, você terá um bom desempenho se souber analisar gráficos, inferir a partir da leitura de imagens, interpretar mapas e documentos, refletir dados produzindo novos conhecimentos, etc.

Já pensou em estudar gráficos? Uma visita ao site do IBGE seria fundamental!

http://www.ibge.gov.br/home/

Lembre-se que a História não revela somente a voz dos vencedores! Reis, Príncipes, Autoridades Eclesiásticas foram significativos para o seu tempo assim como camponeses, operários, crianças, mulheres, escravos, etc. Há nos exames do ENEM de anos anteriores uma tendência de levar os alunos a refletirem sobre a participação das minorias no processo do fazer histórico.

Visite sites e blog´s de História que privilegiam essas novas abordagens sobre o conhecimento histórico.

Uma dica é o site HISTORIANTE: http://www.ohistoriante.com.br/

Assuma uma postura de “sujeito estudante” (e isso serve para responder com qualidade qualquer questão), isto é, faça uma leitura crítica de cada pergunta, tentando fazer uma espécie de diálogo com o autor. Há informações importantíssimas nas questões que são desconsideradas por muitos alunos. Por exemplo: a autoria do documento. Muitas perguntas são extraídas de documentos históricos e muitos alunos não procuram saber quem foi o responsável pelo documento. Saber que Martinho Lutero foi autor das “95 teses contra a Igreja Católica” permite ao aluno associar esse nome ao início da Reforma Protestante. Assim como saber que a princesa Isabel foi responsável pela assinatura da famosa Lei Áurea auxilia muitos alunos no acerto de questões relacionadas à abolição da escravatura.

Ser “sujeito estudante” para a área de Ciências Humanas também é possuir um forte senso de Tempo e Espaço. Isso não quer dizer que o aluno deve saber todas as datas de acontecimentos históricos ou a capital de vários países. Ter noção de Tempo e Espaço é saber se situar histórica e geograficamente. Como assim? Quando você, futuro vestibulando, ler o enunciado da questão é importante verificar “onde e quando”, isto é, saber que tempo e espaço o texto se refere. Se for um texto do Papa Urbano II datado de 1096, o bom estudante saberá relacionar o discurso do Papa ao início das Cruzadas Religiosas apenas pela leitura do período histórico que o documento foi produzido, assim como associar o documento a idade Média, com isso, poderá eliminar alternativas que sejam de outro período histórico ou estejam ali para confundir. A leitura do espaço tem o mesmo sentido. Nos enunciados percebemos que são citados regiões associadas à eventos históricos. Saber que a região de “Champagne” está situada no território Francês e que serve de referência para o início do Comércio das Feiras no século XIII, evita o aluno de confundir esse nome com uma bebida frisante de baixo teor alcóolico.

O bom estudante é aquele que entende profundamente o significado de sua missão. A formação do bom estudante não deve acontecer somente uma semana antes da prova. A formação do estudante de sucesso exige dos jovens uma postura de ir além das aulas de seus professores. Por isso exige-se criatividade! É importante saber articular os ensinamentos que recebe a cada dia em sala de aula. Exige-se disciplina! O bom estudante separa, pelo menos, duas horas do seu dia, para revisar o conteúdo transmitido pelos professores. Exige-se perseverança. O bom estudante ao errar um problema de matemática, por exemplo, não desiste dos estudos, vai buscar novas informações e refaz continuamente o exercício até chegar ao acerto. Exige-se rigor. O bom estudante sabe onde pode pesquisar com confiança. Sabe que há muitos sites na internet que são verdadeiras plataformas de inutilidades. Saber verificar a fidedignidade das informações é requisito imprescindível para boas pesquisas.

Seguir essas orientações é de fundamental importância aos jovens – futuros vestibulandos – de nosso país. Bons estudos a todos e todas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *