Biografia de Mário de Andrade [Dica de leitura]

Compartilhe

Se você é aluno do ensino médio, professor de quaisquer níveis de ensino, graduando em História, Letras, Artes… ou qualquer outra área. E se você é um curioso sobre o modernismo e a semana de arte moderna. Você precisa ler esse livro.

Jason Tércio, jornalista, roteirista e escritor, nos apresenta uma biografia competente, dentre as miudezas e as grandezas, de Mário de Andrade, principal expoente do Modernismo em nosso país, cuja obra é um pilar central para a compreensão do pensamento artístico, poético, prosaico e filosófico do período pós década de 1910.

O século XX foi palco de rupturas, em especial na arte em todo o mundo. A tradicional arte burguesa do século XIX e seus anciãos foram confrontados com uma geração que queria quebrar os padrões estéticos. Entendiam a arte não como decoração, ou mero estímulo do belo pelo belo. Arte, agora, precisava ser entendida como provocação (dos sentidos, dos valores morais, das tradições cadavéricas).

Mário de Andrade, para muitos que partilharam desse momento em nosso país, era o mentor e/ou incentivador desse movimento modernista, como conhecemos hoje. Segundo o próprio autor, Mário era “ousado e tímido. Recatado e escandaloso. Confessional e comedido. Modesto e vaidoso. Apolíneo e dionisíaco. Singular e plural”. Um espírito criativo, de uma imensa curiosidade intelectual.

Autor de “Paulicéia desvairada”, “Amar, verbo intransitivo” e “Macunaíma”, Mário de Andrade é, sem dúvidas, o principal intelectual do movimento. Seu estilo, especialmente após os anos 1920, foca numa escrita que valoriza o modo de falar do povo. Assim, o Modernismo não somente quebrava as barreiras do preciosismo da escrita, como, também, inseria o popular como elemento do novo na arte.

Ao longo da leitura, somos conduzidos a um caminho que nos faz compreender como o personagem histórico Mário de Andrade é construído através de suas experiências, ganhos e perdas, amores e desamores, ao longo de sua vida íntima. Professor muito querido e memorado por seus alunos, sua profunda erudição o fazia, ao mesmo tempo em que louvava os clássicos, criticar os modelos e padrões, rumo a uma quebra de paradigmas sobre a arte.

Sua paixão pelo Brasil e por uma arte genuinamente brasileira o fez viajar pelo interior do país. Em uma passagem interessante, vemos como a arte barroca do interior de Minas Gerais, e especificamente a obra do mestre Aleijadinho, exerceram sobre Mário uma profunda reflexão sobre o Brasil e sua brasilidade. Assim, seus versos são carregados de um interesse pela cultura popular, seus personagens, lendas e práticas. É curioso notar que, muito decorrente desse amor ao Brasil (ou não, quem sabe), Mário de Andrade nunca viajou ao exterior (e não lhe faltaram inúmeros e incontáveis convites para tal!).

Definitivamente, a biografia de Jason Tércio é fundamental para conhecer Mário, o famoso escritor, mas, também, o recluso personagem, preocupado com sua intimidade.

Essa obra é publicada pela nossa parceira @editorasextante e foi a obra de outubro sorteada entre nossos apoiadores.

Seja um apoiador também e participe dos nossos sorteios mensais exclusivos! Vá ao apoia.se/historiante e faça um apoio a partir de R$4 mensais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *