O cerco de Lisboa – 1147

Compartilhe
Prof. Cleber Roberto
Especialista em História do Brasil - Faculdade Montenegro
Licenciado em História - Universidade de Pernambuco

O Cerco de Lisboa teve início a 1 de julho de 1147 e durou até 21 de outubro do mesmo ano, e fez parte da Reconquista cristã da Península Ibérica, culminando na conquista cristã da cidade, que estava dominada pelos mouros.

As forças cristãs eram comandadas por Dom Afonso Henriques com o auxílio dos Cruzados que se dirigiam para o Médio Oriente, para aquilo que seria a Segunda Cruzada no Oriente.

As forças portuguesas avançaram por terra e os cruzados por mar, avançando na foz do rio Tejo. Em junho de 1147 ambas forças estavam reunidas e no início de julho tiveram início os primeiros combates nas cercanias a oeste da colina sobre a qual se erguia a cidade.

Após violentos combates as forças cristãs impuseram o cerco contra Lisboa.

As muralhas que protegiam a cidade mostraram-se inexpugnáveis. As semanas se passavam e os sitiados realizavam surtidas contra as linhas do cerco, enquanto as máquinas de guerra dos sitiantes lançavam todo tipo de projéteis sobre os defensores. O número de mortos e feridos aumentavam entre cristãos e muçulmanos.

No início de outubro, os trabalhos de sapa sob o alicerce da muralha tiveram sucesso em fazer cair uma parte dela, abrindo uma brecha por onde os sitiantes lançaram ataque contra as obstinadas defesas. Nesse momento uma torre de assédio foi aproximada da muralha, permitindo o acesso ao adarve (caminho estreito sobre uma muralha). Diante dessa situação, na iminência de um assalto cristão em duas frentes, os muçulmanos, enfraquecidos pelas batalhas, fome e doenças, se renderam em 20 de outubro de 1147.

No dia seguinte, o rei português, Dom Afonso Henriques entrou na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *