Quem foi Maria Firmina dos Reis?

Compartilhe

Maria Firmina dos Reis foi a primeira mulher a publicar um romance no Brasil. Úrsula, escrito com o pseudônimo “uma maranhense” em 1859, é considerado precursor da temática abolicionista na literatura brasileira, anterior, por exemplo, à poesia de Castro Alves – o épico Navio Negreiro foi publicado em 1880.

Nascida na ilha de São Luís, no Maranhão, em 1822, pouco depois de o Brasil ter declarado independência de Portugal, Maria Firmina dos Reis era filha de pai negro e mãe branca. Criada na casa de uma tia materna, teve contato com a literatura desde cedo. Seu primo, Sotero dos Reis, foi um popular gramático na época. Tornou-se professora de escola primária em 1847, após ser a aprovada em concurso público na cidade de Guimarães, no Maranhão.

Maria Firmina publicou poesia, ensaios, histórias e quebra-cabeças em jornais e revistas locais, além de compor canções abolicionistas. A literatura era seu instrumento de denúncia dos males escravidão, contraditória a fé cristã professada pela sociedade, que não se constrangia em lucrar com a venda de seres humanos. “É horrível lembrar que as criaturas humanas tratam seus semelhantes assim”, escreveu a autora em Úrsula.

Em 1887, publicou na Revista Maranhense o conto A Escrava, no qual descreve uma participante ativa da causa abolicionista. Seu trabalho, no entanto, caiu no esquecimento e só foi redescoberto na década de 1960. Úrsula foi reimpressa desde então.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *