Você sabia que… Os egípcios já tinham um sistema de purificação de água?

Compartilhe

Essencial para os seres vivos, a água é ao mesmo tempo responsável pela disseminação de muitas doenças entre os homens, algumas até fatais. Cientes desse paradoxo, os habitantes do Egito desenvolveram os princípios básicos que foram usados durante os séculos por vários povos para deixa a água pura. O principal deles era a fervura, ainda hoje um jeito seguro de garantir a potabilidade da água. Os líderes recomendavam que o líquido fosse fervido sobre o fogo, esquentado sob o sol ou aquecido com um pedaço de ferro em brasa mergulhado dentro do recipiente com água. Métodos semelhantes estão relatados em manuscritos sânscritos que datam de cerca de 4 mil anos atrás. 

Em Roma, no século I a.C., o arquiteto Marcus Vitruvius Pollio, autor do livro De Architectura, levantou questões sobre a distribuição dela. Se a bebida era vital para os homens, pensou, era preciso levá-la limpa até as casas e as fontes públicas, onde os mais pobres se abasteciam com baldes. Vitruvius, então, se preocupou com a qualidade dos canos. Para ele, o ideal era que fossem feitos com cerâmica, em vez de chumbo, para diminuir o risco de a água ser contaminada por metais pesados.