Você sabia.. Que a Taça Libertadores da América é uma homenagem?

Compartilhe
Prof. Neto Almeida
Licenciatura em História - UFC
Mestre e Doutor em História Social - UFC

Talvez, os mais desapercebidos nem tenham notado que o principal torneio de futebol da América do Sul faz uma singela homenagem a alguns dos principais combatentes nas lutas de independência da América espanhola; no final do século XVIII e início do século XIX, as colônias desse lado do Atlântico colocaram um fim em lutas e guerras contra as últimas forças de opressão das metrópoles europeias, como Espanha e Portugal. Foi nesse instante que surgiram lideranças negras, mestiças, nativas que tempos depois permaneceriam representadas no nome da tradicional competição esportiva da atualidade.

O torneio foi criado em 1958 com o atual nome, pois uma década antes um certame parecido tinha ocorrido, mas não com a denominação Taça Libertadores da América e sim como Campeonato Sul-Americano de campeões.  Apenas em 1960 foi disputada a primeira Libertadores, como chamam a maioria dos apaixonados por futebol, sagrando-se campeão naquele ano o tradicional time do Peñarol do Uruguai.

Entre os homenageados estão Simon Bolívar (1783-1830), cujas vitórias sobre os espanhóis garantiram a independência da Bolívia, Panamá, Equador, Peru e Venezuela, e San Martín (1775-1850), militar argentino que também ajudou Peru, o Chile e, ao lado de Manuel Belgrano, a própria Argentina a se tornarem independentes. Outros ‘baderneiros’ que fizeram história foram Francisco Miranda, Tupac Amaru e Gaspar Francia, que encabeçaram lutas pela liberdade na Venezuela, Peru e Paraguai, respectivamente, contra a opressão da metrópole espanhola.

Nos últimos 4 anos, o Brasil dominou as conquistas da Taça Libertadores, apesar de ainda permanecer atrás do argentinos, que são os maiores vencedores com 22 ‘canecos’, muito por conta do multicampeão Independiente e do Boca Junior. Contudo, os brasileiros desde 2010 seguem rumo a hegemonia dentro da competição, e já fomos por 17 vezes os melhores do continente; em 2010 o Internacional sagrou-se campeão, e até aqui, Santos (2011), Corinthians (2012) e o atual campeão Atlético Mineiro, proporcionaram o tetra do Brasil nessa interessante disputa. Outros países da América também são tradicionais vencedores, como o Uruguai (8 títulos), seguido por Paraguai (3), Colômbia (2), Chile e Equador cada um com um time campeão.

Monumento a Simón Bolivar e San Martin em Guayaquil, no Equador.

Em um encontro no ano de 1822 na cidade de Guayaquil, os dois líderes mais conhecidos da independência latino-americana se encontraram para discutir os rumos de seus projetos de liberdade para a América: San Martin defendeu que os países  independentes da América adotassem a Monarquia como forma de governo, alguns de seus apoiadores argumentavam que isso facilitaria a inserção desses mesmos países na economia e na política integrada aos países da Europa, porém Simón Bolivar propôs que os países libertos se unissem e fossem uma única República Federativa. Apesar de San Martín ter ao fim compartilhado com os ideais de Bolivar, ambos os projetos tomaram rumos diferentes e após as lutas de independência, a América espanhola se fragmentou em 19 Estados autônomos.

Em 2010, uma abertura bem cômica foi feita para o torneio aqui no Brasil tomando como melodia a abertura do torneio europeu Champions League e apresentava os tipos bem característicos dos homens e da música dos países de língua espanhola na América. Veja o vídeo abaixo.