Plano de aula – ABSOLUTISMO MONÁRQUICO

Compartilhe
Prof.ª Joyce Oliveira Pereira
Licenciada em História - UFMA
Mestre em História, Ensino e Narrativas - UEMA

DURAÇÃO: 150 MINUTOS (3 AULAS)        TURMA: 2º ANO E.M

Objetivos ·         Apontar as principais características do Estado Moderno;
·         Apreender o fortalecimento do poder real;
·         Compreender a transição do feudalismo para o mercantilismo;
·         Apontar as principais características do mercantilismo e suas peculiaridades nos reinos europeus;
·         Explicar e entender  as diferentes teorias sobre a origem do poder real;
·         Conhecer as redes de sociabilidade na corte francesa;
·         Analisar a importância de Luís XIV como símbolo do absolutismo.
Conteúdo ·         Transição do feudalismo para capitalismo;
·         Formação do Estado moderno e seus aparelhos;
·         Mercantilismo: surgimento, características, teorias;
·         Teoria do Direito Divino dos Reis: Bodin, Bossuet e Luís XIV;
·         Redes de sociabilidade na corte francesa;
·         Construção da Imagem de Luís XIV.
METODOLOGIA ·         Aula dialogada;
·         Exposição de mapas;
·         Exposição de imagens;
·         Leitura e interpretação de textos.
RECURSOS Quadro ;
·         Pincel;
·         Livro didático;
·         Data show;
·         Anotações complementares para alunos.
AVALIAÇÃO Construção quadro comparativo entre a Idade Média e a Idade Moderna enfocando os aspectos econômicos e políticos.

Indicações para o professor:

–  Para este tema de aula, serão necessárias 3 aulas para que em cada uma possa ser enfocado aspectos distintos:

  1ª aula: Trabalhar o 1º, 2º, 3º e 4º objetivos;

  2ª aula: Trabalhar o 5° objetivo;

  3ª aula: Trabalhar o 6º e 7º objetivos.

–  Na 1ª aula, é importante que o professor reforce as diferenças entre o período medieval não só em relação aos aspectos econômicos e políticos, mas, também e relação ao imaginário do homem moderno. Porém, não se deve olvidar as influências que a religião ainda terá através da Teoria do Direito Divino dos Reis que será trabalhada na 2ª aula.

Para uma melhor compreensão da transição do feudalismo para o Estado Moderno ver ANDERSON, Perry. Linhagens do Estado Absolutista. 2ª edição. São Paulo: Brasiliense, 1989.

–  Na 2ª aula, será enfocado a Teoria do Direito Divino dos Reis e alguns de seus teóricos. Trabalhar este aspecto da História Moderna é importante para desmitificar o conceito de poder absoluto que geralmente é imputado aos reis do Antigo Regime, pois, o poder real era limitado por:

1. Lei eterna: que é Deus

2. Leis divinas: são as palavras de Deus na Bíblia;

3. Leis da natureza: leis que Deus criou e colocou no coração dos homens ( ex: mulher não podia governar um reino – lei sálica);

4. Leis positivas: leis feitas pelos homens.

Nesta aula, trabalharemos o conceito de soberania de Jean Bodin que é tão importante quando se fala de absolutismo monárquico; Para tal ver, SKINNER, Quentin. Bodin e o absolutismo. In: As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

Também, iremos apresentar Jean- Bégnine Bossuet que foi um dos maiores teóricos sobre o direito divino na França. O professor deve abordar também um pouco de sua biografia para entender a forte influência que exerceu sobre Luís XIV.  Para tal ver, OLIVEIRA, Maria Izabel Barbosa de Morais Oliveira. O príncipe pacífico: Bossuet, Luís XIV e Antônio Vieira. 2009. Tese (Doutorado em História). Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2009.

E para finalizar esta aula, iremos ver os escritos do símbolo do absolutismo monárquico, Luís XIV que também serão analisados na tese acima indicada.

–  Na 3ª aula, vamos apresentar os aspectos da cultura política no regime absolutista francês através das relações sociais estabelecidas na corte francesa. Para isso ver, ELIAS, Norbert. A sociedade de corte: investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

E também iremos demonstrar o “markenting” de Luís XIV pelas imagens disponíveis em BURKE, Peter. A fabricação do rei: a construção da imagem pública de Luís XIV. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

Aqui se fará análise de imagem e fazendo a contextualização.