Quarto de despejo [Diário de uma favelada]

Compartilhe
Lidia Verônica Nunes Pereira Magalhães

O que falar da aniversariante do dia?

Carolina Maria de Jesus. Nascida em 1914, Minas Gerais. Migrou-se para São Paulo em 1937, onde viveu a maior parte de sua vida na favela do Canindé, como catadora de papel, criou seus 3 filhos e nas horas vagas escrevia, motivo que a fez nunca ter interesse em casamento.

Quarto de Despejo: Diário de uma Favelada, é um diário de registros do seu cotidiano, um lugar de desabafo sobre sua condição de mulher, mãe, negra e favelada, ao passo que em seus relatos, nos faz conhece-la em seu íntimo, também nos narra um período histórico do Brasil sob a perspectivas de alguém a margem daquela sociedade, literalmente! As margens do rio Tietê e a realidade de um grupo social que jamais chegaria a escrever a história do país em palavras.

O jornalista Audálio Dantas, em 1958, deu visibilidade a Carolina Maria de Jesus, que por sua vez foi voz dessa minoria, mesmo sendo rejeitada pela sua comunidade, devido a suas colocações. O seu livro de maior sucesso foi o Quarto de Despejo, traduzido em 14 línguas, se tornando material de estudo não só para o Brasil, mas para o mundo.

Consideramos uma leitura necessária não só pelo valor histórico, mas pelo reconhecimento de que Carolina foi e é uma grande inspiração para mulheres, negras, faveladas e sonhadoras.