Campanha de Napoleão no Egito

Compartilhe
Bonaparte Diante da Esfinge de Jean-Léon Gérôme
Cleber Roberto Silva de Carvalho
Especialista em História do Brasil - Faculdade Montenegro

A Campanha do Egito foi uma operação militar realizada durante a Revolução Francesa, no âmbito das chamadas Guerras da Revolução Francesa. O objetivo da Campanha era desmantelar uma importante rota de comércio inglesa. Vendo que não tinha qualquer possibilidade de invadir a Inglaterra, Napoleão planejava derrotá-la no setor econômico.

Uma das bases da economia inglesa era através de suas colônias, das quais a Índia era a principal. E Napoleão planejou bloquear o caminho inglês até a Índia, que passava pelo território egípcio. E a posse do Egito permitiria a França rivalizar com a Inglaterra no controle das rotas mediterrâneas.

No dia 19 de maio de 1798, Napoleão partiu com 18 mil soldados para Campanha no Egito.

Bonaparte aspira ao novo comando, enquanto Diretório na França, que o julga perigoso, estava animado em afastá-lo do território francês.

A Frota, partindo de Toulon, no sul da França, desembarcou em Alexandria, no Egito, em 1º de julho, após conseguir fugir da frota inglesa, sob comando de Horatio Nelson, que estava em sua perseguição. Mas a frota francesa foi destruída pelos mesmo navios britânicos, posteriormente, em 1º de agosto de 1798.

Uma Vitória Esmagadora das Forças de Napoleão…

Durante a Campanha do Egito um dos combates que se tornou lendário foi a Batalha das Pirâmides, em 21 de Julho de 1798, onde 20 mil franceses se defrontaram contra 25 mil soldados mamelucos, e o resultado foi uma vitória francesa, onde as perdas francesas foram de 29 mortos e 260 feridos, no lado mameluco as perdas ultrapassaram os milhares de homens (segundo Napoleão foram 20 mil mortos entre os inimigos)

A Batalha das Pirâmides de Francois Louis Joseph Watteau

Após uma campanha vitoriosa no baixo Egito, o exército francês marchou em direção da Síria contra o exército enviado por Serlim III, sultão do Império Otomano.

As tomadas de El-Arich, Gaza e Jaffa, entre fevereiro e março de 1799, ajudavam no avanço. Mas os franceses, dizimados por uma epidemia de peste foram forçados a recuar para o Egito.

Napoleão seu estado-maior no Egito de Jean-Léon Gérôme

No Egito as forças francesas se defrontaram com um segundo exército turco, mas conseguiram rechaçar os inimigos. Mas a situação estava irremediável.

Napoleão Bonaparte foi embarcado, em segredo, de volta para França, juntamente com alguns de seus apoiadores, deixando os franceses sob comando de Jean Baptiste Kléber. E mesmo com uma situação dramática, os franceses venceram outro combate em Heliópolis, em março de 1800. Em junho do mesmo ano o comandante Kléber é assassinado.

Diante daquele quadro irreversível, as forças francesas capitulam em setembro e um dos termos acertados na capitulação, as tropas francesas foram transportadas para França por navios ingleses.

Além das várias batalhas, outro fato foi extremamente importante na Campanha de Napoleão no Egito.

Este fato foi a descoberta da Pedra de Roseta, uma estela crucial para o entendimento dos escritos em hieróglifos.

Esta Estela foi descoberta, por um soldado francês, em 19 de julho de 1799, na cidade de Roseta, a cerca de 56 quilômetros ao norte de Alexandria,

A Pedra de Roseta é uma estela, de formato irregular, que contém os fragmentos de um texto, mas que foi escrito em três diferentes estilos de caligrafia: grego, hieróglifos egípcios e demótico egípcio. A Pedra de Roseta é uma relíquia, de onde poderia ser resolvida o enigma da tradução dos hieróglifos, uma língua a muito tempo extinta.