A Cavalaria Medieval e suas Ordens

Compartilhe
Ilustração de um cavaleiro – Crédito Wikimedia Commons
Cleber Roberto Silva de Carvalho
Especialista em História do Brasil - Faculdade Montenegro

A cavalaria era o principal instrumento de ação militar dos nobres na Idade Média, mantendo a ordem social da época. A Igreja mantinha influencia sobre a cavalaria e indicava que os cavaleiros deveriam defender a cristandade. Para o jovem ser armado cavaleiro deveria presta juramento em uma cerimônia religiosa, onde se comprometia em seguir os princípios da fé cristã. Mas o cavaleiro não era alçado ao título tão facilmente, pois deveria começar a praticar os elementos equestres ainda na juventude, por volta dos dez anos; aos 14 anos se tornava escudeiro e por volta dos 18 anos seria armado cavaleiro.

A Investidura do Cavaleiro

No ritual de investidura, o cavaleiro recebia a espada, o elmo e o escudo. A partir disso jejuava por um dia, depois tomava um banho para purificar a alma e em seguida deveria levar a espada para ser abençoada por um religioso. Fazendo os votos em que deveria defender a fé cristã, o rei e os cristãos.

As principais ações da cavalaria medieval eram nas guerras, onde era a principal força de ataque e realizava cavalgadas no território inimigo, onde realiza saques e violência contra a população, desestabilizando as defesas do inimigo.

Nos períodos de paz os cavaleiros se atentavam em treinar e participar de torneios, onde poderia conquistar grandes somas em prêmios.

Torneio alemão em 1480, pelo Mestre de Housebook

As Ordens de Cavalaria Medieval

Envolvidas no espírito religioso da cavalaria medieval e com apoio da igreja católica, as Ordens de Cavalaria surgiram, principalmente, como forma de apoiar os movimentos das Cruzadas (no Oriente e na Península Ibérica). Muitas destas ordens se tornaram grandes organizações com influência política e social no mundo medieval. Entre as principais Ordens podemos citar:

Templários: A Ordem dos Cavaleiros de Cristo do Templo de Salomão, ou simplesmente Templários, surgiu durante as Cruzadas do Oriente, com o intuito de proteger os cristãos que realizavam suas peregrinações para os locais sagrados na Terra Santa. Durante os quase dois séculos de existência, a Ordem dos Templários tornou-se numa grande instituição político/militar/econômica. Seu poder resistiu até que o rei Felipe, o Belo, que devia grandes somas de dinheiro para os Templários, conseguiu fazer com que o Papa, Clemente V, dissolvesse a Ordem e desse início a perseguição dos seus membros, sob acusação de heresia. Muitos dos seus membros foram executados, inclusive o líder, Jacques Demolay.

Hospitalários: A Ordem dos Cavaleiros Hospitalários surgiu como uma ordem religiosa com o intuito de acolher os peregrinos no Oriente, e em 1120 a Ordem passou a cuidar dos doentes. Contudo os seus membros perceberam que os cuidados com os doentes não resolveria a difícil situação dos peregrinos no Oriente, e a Ordem passou a adotar caráter, também, militar.

Teutônicos: A Ordem dos Cavaleiros Teutônicos foi criada com a finalidade de auxiliar as forças germânicas nas Cruzadas do Oriente. Seus membros eram, na maioria, da nobreza e os mesmos se envolveram em várias lutas contra movimentos heréticos na Europa.

Ordem de Santiago: Esta Ordem de origem castelhano-leonesa, foi instituída pelo rei Afonso VIII de Castela. A mesma foi fundada por volta de 1164, com o nome de Ordem de Cáceres, que mudou seu nome para Ordem de Santiago em 1170, tinha o propósito de lutar contra os muçulmanos na Península Ibérica e proteger os peregrinos do Caminho de Santiago Compostela. A mesma teve participação ativa na Guerra de Reconquista.

A Knightly Duel. Hans Talhoffer, 1478