Artigos

“Sou amigo de infância de todas as bolas deste mundo” – Série Historiante Futebol Clube

O ano de 2013 foi marcado pela despedida do “velho”, da Enciclopédia do futebol, morreu Nilton Santos. Antes de tudo, sou botafoguense, e por mais imparcial que quisesse parecer este texto, não o fiz com a intenção de ser tão parcial, estamos lidando aqui caros colegas, com paixão, com sentimento de vida e com estas situações onde, ou você é, ou nunca foi assim, um apaixonado pelo futebol. Tomo partido de um jogador que defendeu apenas um clube, o maior de todos os clubes de futebol, o Glorioso Botafogo. [...]

Nunca houve um jogador como Heleno de Freitas – Série Historiante Futebol Clube

Marrento, boêmio, boa pinta, mulherengo, auto suficiente. Nunca houve um jogador como Heleno de Freitas, a estrela solitária (assim o pensava) do clube da estrela solitária, o Botafogo de Futebol e Regatas. Neste segundo texto da série Historiante Futebol Clube, vamos conhecer os dribles, a ginga e a soberba de um jogador emblemático e problemático da década de 1940, Heleno de Freitas, por muitos de seus contemporâneos considerado o melhor jogador da América latina. [...]

“Nascido para jogar futebol”? – Série Historiante Futebol Clube

Lembro-me de uma frase que fora estampada em algumas camisetas da Seleção Brasileira de futebol: “Nascido para jogar futebol”. Esse aforismo de alguma forma sintetiza o sentimento que nós brasileiros temos em relação ao esporte bretão. Nos reconhecemos e também somos reconhecidos como a “pátria de chuteiras”, “a terra brasilis da bola”, os mestres do futebol arte. [...]

A moderna música popular brasileira

Segundo o Historiador Marcos Napolitano, o Brasil é sem dúvida umas das grandes usinas sonoras do planeta e um lugar privilegiado não apenas para ouvir, mas também para pensar música. Podemos assim, supor que a música sempre esteve presente no cotidiano da sociedade brasileira: dos cantos gregorianos/religiosos aos lamentos dos escravos no eito do trabalho na colônia/império, passando pelo século XIX e a invenção da vida burguesa com suas expressões artísticas de lazer, no qual destacam-se os musicais, como a Modinha, Lundu, Polca, Choro, Maxixe. [...]